quarta-feira, julho 22, 2009

Não basta ser professor, tem que participar

Já escrevi sobre a gincana e já contei pra todo mundo cada detalhe das tarefas. Ninguém mais me aguenta. Mas hoje foi o último dia e foi muito diver.

O mais legal de tudo foi ver a participação de alguns alunos. Dou aula pra eles a um bom tempo e nunca imaginei ve-los fazendo o que fizeram. Os alunos que mal ouço a voz na aula de tão quietinhos...

... se fantasiaram de estátuas de deuses gregos...




... desfilaram vestidos de mascotes de suas equipes...


... dançaram quadrilha. E eu junto!

Pra encerrar a gincana hoje, cada equipe teve que cantar uma música. Os sorteados foram de Genival Lacerda a Angélica, passando por Tiririca, Menudos e Eliana. Desci todo meu roupeiro, perucas e figurinos...




... e lá tava eu de novo, cantando os dedinhos.




No final da manhã todos juntos, professores e alunos, cantamos uma música da Mercedes Sosa. Terminamos toda essa função de três semanas mais unidos, com uma energia mega maravilhosa e eu chorando que nem criança.



Eta trabalhinho bom esse que eu escolhi!!!!!



terça-feira, julho 21, 2009

Carol: fazendo amizade desde 1981


Desde novinha (porque pequena eu ainda sou) eu sei que dia 20 de julho é Dia do Amigo. Nas agendas sempre vinha escrito, mas ninguém sabia, ninguém prestava muita atenção na data. Eu sabia e, quando perguntavam o dia do meu aniversário, eu sempre dizia "Dia 20 de julho, Dia do Amigo. Por isso eu sou simpática desse jeito". Modéstia zero.

Não sei bem a partir de quando, mas as pessoas começaram a falar sobre o Dia do Amigo. Daí a data caiu nos braços da mídia e agora todo mundo sai distribuindo "Feliz Dia do Amigo". Mandam mensagens, e-mails, mas telefonar em tempos como os nossos é pedir muito, até no Dia do Amigo.

Eu não procuro ninguém nesse dia, porque me parece que estou tentando lembrar as pessoas que é meu aniversário. Seria eu uma má amiga? Acho que não, porque em todos os outros dias do ano eu falo pros meus amigos o quanto eles são especiais pra mim... E eu até telefono pra eles.

quarta-feira, julho 15, 2009

Eu quero mil coisas


Dinheiro, carro, casa, roupas, sapatos, lãs, DVD’s, livros, CD’s, cadernos, canetas coloridas, lápis, passagens de avião, hotéis, museus, galerias, bibliotecas, livrarias, cinema, teatro, balés, comida, bebida, brincos, esmaltes, rímel e lápis de olho.

Cortar o cabelo, maquiar os olhos, dançar tango, falar francês, fazer trabalho de teoria literária, escrever poesia, recortar e colar (mas com tesoura e papel de verdade), fazer a diferença e as unhas.

Comer e não engordar. Dormir e não babar. Trabalhar e não cansar. Acreditar e não me decepcionar. Falar a verdade e não magoar. Menstruar e não surtar. Dançar e não doer. Ler e não esquecer.

Tempo, coragem, fôlego, paciência, sapiência, liberdade, compreensão, elasticidade, equilíbrio.

Rir. Dormir. Acordar. Chorar. Beijar. Cheirar. Aconchegar. Ensinar. Aprender. Conscientizar. Mudar. Observar. Falar. Ouvir. Conhecer.

Europa no inverno. África do Sul no verão. EUA na liquidação. Cama na manhã. Lost na tarde. Colo na noite.

Conhecer o Tom Hanks. Cantar “I Will survive”. Ler “O tempo e o vento”. Dançar “Ne me quitte pas”. Conversar com Gabriel Garcia Marquez e Jorge Luis Borges. Assistir show do Roupa Nova. Tocar gaita de boca.

Ser dragqueen. Ser mãe. Ser exemplo. Ser louca. Ser feliz. Ser magra. Ser amada. Ser lembrada. Ser otimista. Ser realista.

Não são mil coisas. A maior parte delas eu já tenho e, ultimamente, percebi que tenho muito mais. O que tenho não tem nome, não tem tempo, não tem como avaliar. O que tenho preenche meu coração de tal maneira que me falta palavras pra explicar e sorriso pra sorrir.

terça-feira, julho 14, 2009

Céu de baunilha


Nunca gostei de acordar cedo. Sempre falo que levanto às 6h30, mas só me acordo às 10h, na hora do recreio quando tomo uma caneca de chá. De manhã não funciono direito, fico lenta, preguiçosa e mais tonta do que já sou. Mas a parte mais difícil é levantar da cama, sair debaixo dos cobertores, me desvencilhar dos braços da minnha caminha.

No inverno é um drama shakespeareano: frio e escuridão. No verão, com o sol já no céu fica quase fácil levantar, mas quando ainda está escuro é uma tristeza. Nos últimos dias, as coisas estão mudando. Quando acordo o sol já está quase quase e no caminho pro colégio vejo luzes e cores maravilhosas como essas da foto.

Aprendi com uma pessoa amada um nome perfeito para um céu dessa cor: céu de baunilha. Com um pouco mais de luz de manhã cedo, abro um pouco mais meus olhos pra essas coisas bonitas. A visão do céu de baunilha e a lembrança da pessoa que me ensinou esse termo passam por cima do meu “beicinho matinal” e alegram meu dia inteiro.

segunda-feira, julho 13, 2009

Mês de julho - gincanas, apresentações e aniversários


Mês de julho é corrido só pra mim? Fico quase louca com todas as coisas extras que aparecem e, como não se vive só de obrigações, todos os aniversários que tenho que lembrar.

No Olindo estamos de gincana. A-do-ro! Ficou mais louca que os alunos. Já tivemos tarefas mega massas do tipo: ir de pijama, fantasiar alguém de estátua de um deus grego, fazer a cena de um filme... A gincana acaba dia 22, até lá já vou ter pedido tanto figurino emprestado que vou ter que alugar um depósito.

No Yázigi aconteceu o Grammy de novo, mas dessa vez nós arrasamos. Cantando "Money" do Cabaret, ganhamos troféu de melhor figurino e o Eric o de revelação masculina. Só fiquei triste pelos meus pupilos que ensaiaram um monte e acabaram não apresentando por falta de córum (se essa palavra estiver errada me perdoem).

E essa gente que resolveu nascer em julho? Conheço quase um aniversariante por dia. Alguns eu esqueço, outros são novos e adiciono na minha lista. Haja presente pra todo mundo, haja estômago pra todos os docinhos e salgadinhos.

Bom de julho é que no final dele tenho uma semana INTEIRINHA de férias. Durmo e acordo tarde. Tenho tempo pra fazer nada sozinha, pra fazer nada acompanhada. louca que essa semana chegue!