quinta-feira, junho 04, 2015

Muro das Lamentações


De acordo com meu pouco conhecimento e a Wikipédia, o Muro das Lamentações fica em Israel e é um vestígio do Templo de Herodes. Nele os judeus oram e depositam seus desejos por escrito. Já vi algumas cenas na TV de pessoas orando com a testa encostada no muro, falando baixinho ou apenas mentalizando seus pedidos e agradecimentos.


Às vezes sinto falta de crer realmente em algo ou alguém. De ter um lugar para ir “desabafar” meu coração e agradecer o que tenho. Na verdade sempre agradeço pelos meus dias antes de dormir, mas não sei a quem ou a que me dirijo. Admiro essas pessoas que tem um lugar como o Muro das Lamentações para recorrer. Talvez para elas, aquilo simbolize um apoio, uma esperança, uma força para encarar os momentos difíceis da vida.

Mas (porque se não tivesse um mas o texto terminaria aqui) um grande número de pessoas encontrou um outro lugar para se lamentar e de uma maneira bem menos discreta: Facebook. As pessoas digitam com letras maiúsculas gritantes seus problemas e mazelas, depositando seus desejos e reclamações por escrito para que todos possam ler.

Talvez isso não seria um problema se não estivéssemos passando por um período gravíssimo de vitimização. As pessoas estão cada vez mais coitadas, descruzando os braços apenas para digitar publicações no Face. Tem pessoas que chegam ao extremo de acharem que o mundo inteiro está errado e só elas estão certas. Daí vão para o Facebook e preenchem linhas e linhas com frases prontas e ditados populares, dizendo como são vítimas de tudo e de todos. Não assumem suas vidas e escolhas e nem se dispõem a mudar a situação que estão, as suas atitudes nem o mundo em que vivem.

Caberia uma reflexão: talvez o primeiro passo para o fim da vitimização e para o começo de uma mudança seja tirar os dedos do teclado e os olhos do Face e colocar a "mão na massa" e os olhos na vida real. TALVEZ encostar a cabeça numa parede e falar baixinho consigo mesmo chegue mais rápido ao cérebro e à consciência.