segunda-feira, novembro 16, 2015

#somostodosapenasnósmesmos

#eunãosoumaju
 Porque eu nunca vou conseguir entender o que é receber ofensas absurdas e gratuitas por causa da cor da minha pele ou do tipo do meu cabelo. Eu nunca vou ser capaz de mensurar como deve ser difícil ultrapassar olhares e julgamentos falsamente livres de preconceito. Pra mim só existe uma raça: a humana.

#eunãosouminasgerais
Porque eu nunca perdi minha casa ou as lutas e lembranças de uma vida inteira. Não imagino como deve ser o desespero de perder pessoas amadas, coisas materiais e lembranças sentimentais em meio à lama.

#eunãosoufrança
Porque eu nunca estive no meio de um tiroteio ou de explosões de bombas, apesar da guerra civil mascarada em que vivemos no Brasil. Eu não sei o que é fazer parte de um grupo radical ou não, político ou não, religioso ou não.

#eusousóeu
Eu só consigo ser eu mesma. Posso tentar imaginar as dores e os sofrimentos que se espalham pelo mundo, mas eu sou apenas as dores que eu mesma senti. Eu não me encaixo em nenhuma # porque os tijolinhos que me construíram foram exclusivos, assim como são todos que constroem cada ser humano desse planeta. Eu não meço sofrimento, cansaço, alegria, sucesso, realização. Eu só conheço os meus e são eles que me fazem seguir a vida no meu caminho. Nesse caminho eu respeito todos que passam por mim, às vezes não controlando um ou outro julgamento, mas quando eu caio nessa armadilha, falo em voz alta uma frase que é quase meu lema: “e estamos todos certos”. Todos temos opiniões e existe espaço para todas elas. O caminho tem que ser o respeito e a empatia. O caminho é voltar para a estrada da humanidade.


#somostodossereshumanos?