quinta-feira, dezembro 30, 2010

Em poucas palavras...

Que bom que tenho minhas flores particulares

Estou muito feliz que 2010 está acabando. Realmente é um ano que eu quero esquecer.

Coisas boas sempre acontecem e, nesse ano, uma das melhores aconteceu: consegui comprar meu apartamento. Em dois anos planejo ir morar nele, com tudo que eu sempre quis ter na minha casa. Amizades importantes foram consolidadas nesse ano também e com elas, e graças a elas, tive momentos maravihosos.

Mas infelizmente esse ano me marcou com mentiras e até hoje (dia 30, meudeusooo!) elas aparecem nos meus sonhos pra me cutucar. Fiquei com medo de estar fingindo que não as vejo, mas cada vez que elas aparecem, eu olho bem pra elas, puxo um banco e digo "tá bom, vamos nos encarar".

Por causa disso eu não escrevi mais por aqui. Sempre disse que escrever é uma forma irremediável de assumirmos as verdades e elas vem com o dedo direto na ferida. Minhas feridas estão bem menores, mas ainda muito doloridas. Sei que logo vão desaparecer, mas percebi que elas estavam esperando o fim do ano pra me maltratar mais um pouquinho.

Maaaaaaaaas 2011 surge como um sol dourado e até a cor dele me lembra coisas que me fazem encher os olhos de lágrimas. Somos feitos de tudo, inclusive tristezas e, por isso, não posso nega-las, pois são elas que também me ensinam a crescer e a chegar nos meus 30 (!).

Que venha 2011, porque eu tô indo. Cada vez com menos expectativas, porque nos setores que eu não as tinha, eu me sai muito bem.

terça-feira, dezembro 21, 2010

Até o fim do ano...

... eu prometo escrever um texto meu que seja parecido com alguma coisa válida.
Estou ensaiando alguns dias a escrever um textinho pro meu blog tão abandonadinho, mas ainda não dá. Ainda tô meio intoxicada e sei que não valeria a pena. Tô decidindo como foi 2010 pra mim. Assim que decidir, eu escrevo.