sexta-feira, janeiro 27, 2006

Rigoto: o sem noção


O que acharam do nosso mui querido governador achar que tem alguma possibilidade de ser presidente?? Eu cheguei a ficar com vergonha. Todo aquele botox dele nunca ganharia a simpatia do povo.

Coitado!!!! Acho que nem prefeito de POA ele conseguiria ser e, no entanto, prefere ficar se iludindo...

Mas uma coisa de bom ele tem: acaba de me pagar!!!!! Recebi hoje, mas, pelas minhas contas, amanha o salário acaba.

Viram? Até o Rigoto tem um lado bom...

quinta-feira, janeiro 26, 2006

Shakespeare era realmente sábio


"Sempre que a amizade adoece(...) lança mão de fórmulas forçadas" (Júlio César)

"Porventura tem a amizade um coração tão fraco, que numa noite ou pouco mais se muda?" (Timão de Atenas)

quarta-feira, janeiro 25, 2006

Coisas velhas e boas

Tava pensando em colocar uma pequena lista com títulos de alguns livros que eu gosto. Pra quem está de férias e gosta de ler seria um estímulo. Daí tive uma outra idéia ao rever a antiga “A fantástica fábrica de chocolate”: fazer uma listinha de coisas velhas é ótimas que, aposto, muitos devem até ter esquecido.

- O elo perdido;
- Armação ilimitada;
- TV Pirata;
- Sítio do pica-pau amarelo (quando a Cuca nem era corpinho ainda);
- Os Goonies;
- A fantástica fábrica de chocolate (antes da bicha do Johnny Deep estragar o Willy Wonka);
- Vivendo a vida adoidado;
- Quando as metralhadoras cospem;
- O brinquedo assassino (todos);
- De volta para o futuro (todos);
- O mágico de Oz;
- História sem fim (o filme e o livro);
- Toda a coleção Vaga-lume;
- A coleção do Karas;
- Jogar dorminhoco (e castigar com rolha queimada ou com batom que demora mais pra sair), tapão, detetive, perfil, resta um, imagem e ação, cara a cara...

Graças a Sessão da Tarde, os filmes dessa lista a gente ainda vê de vez em quando, mas e os livros e os jogos? Verão, praia... é muito bom jogar essas coisas nessa época, ainda mais de galera.

E aí? Lembram como era legal?

segunda-feira, janeiro 23, 2006

Demorei, demorei muuuuuuuuuito, mas, finalmente, fui ver Tangos e Tragédias. Provavelmente, cada um que ler esse texto já deve ter ido ver umas 2 ou 3 vezes, quem sabe até mais... Mas eu só fui ver ontem (domingo). E foi um máximo!!!!

Aconteceu exatamente o que a Pri tinha me dito: fui embora com muita dor nas bochechas, de tanto rir. Apesar de já conhecer algumas músicas deles, o espetáculo foi cheio de surpresas.

A surpresa mais legal de todas foi o final. Eles sairam do palco pela platéia. Todo mundo levantou pra ir embora e quando chegamos lá na frente, eles estavam lá na praça cantando mais algumas músicas e estimulando todos a gritarem "bah!" em todas as direções para ouvirmos o eco.

Uma noite de domingo maravilhosa.

sexta-feira, janeiro 20, 2006

E quando eu tiver 50 anos???


Desde que me tornei (ir)responsável por um considerável número de alunos, encontro-os nos lugares mais diferentes e, algumas vezes, mais inconvenientes. O grande problema é que o número de alunos é realmente muuuuuito considerável (alguém já contou mais de 300 nesse ano que passou). Passei um ano inteiro com eles, vendo-os, no mínimo, uma vez por semana, mas mesmo assim não faço idéia do nome de, pelo menos, a metade deles.

Pois bem... Hoje fui no super com meu amorzão. Só que eu tinha esquecido que hoje era o DIA INTERNACIONAL DE ENCONTRAR A PROF NO BIG. Em 20 minutos que fiquei lá dentro, encontrei três alunos (dos quais eu lembrava o nome) e uma menina que só sei que foi minha aluna porque me chamou de "Sora".

Um dos meninos ficou extremamente vermelho pra me dar oi e foi correndo mostrar, de forma nada discreta, pro pai e pra irmã que eu era a prof de português dele. Tudo bem, ele era meu aluno da sétima série que eu era conselheira. Bem novinho e muito fofinho.

Mas o que me deixou doida até agora foi a menina. Ela veio toda simpática me dar três beijinhos, perguntou onde eu estou dando aula, enquanto eu vasculhava todos os meus arquivos pra descobrir quem era a criatura. Fui embora morrendo de vergonha e até agora eu não tenho noção de que colégio ela era.

Isso me fez pensar: o que vai ser de mim quando estiver com 50 anos?? Quantos alunos vou ter até lá?? Quantos nomes eu não vou lembrar?? E de quantos vou esquecer?? Quantas meninas eu vou encontrar no Big e não conseguir lembrar nunca de que turma ela era??

Meu Deus!!!! Acho que vou começar a fazer todos os tipos de exercícios mentais desde de agora. É muito vergonhoso esquecer completamente de alguém que a gente convive, no mínimo, um ano inteiro!!!!!

Bom, deve ser por isso que eu fiquei tão vermelha quanto o meu aluno quando a menina me cumprimentou.

terça-feira, janeiro 17, 2006

Sobre reformas e cachorros


Desde o dia 19 de dezembro, estamos passando por uma revolução aqui em casa. Começamos a tirar as coisas do lugar pra poder arrancar carpete e papel de parede. Terminamos colocando as coisas no lugar para poder pintar a garagem e o lado de fora da casa.

As coisas do quarto foram parar na sala, as da sala no quarto de visita, as do quarto de visita na cozinha e as da cozinha na garagem. Depois de tirar carpete e colocar piso, tirar papel de parede , passar massa corrida, lixar e pintar, a casa tátoda verde. Por dentro e por fora.

No meio de toda essa bagunça e pó (muito pó), descobrimos que uma cadela tava "morando" dentro da boca de lobo. Eu, minha mãe, a vizinha, o filho da vizinha, o pintos, o pedreiro e o ajudante do pedreiro ficamos as voltas com o tal bueiro. Quando, finalmente, conseguimos abrir a boca de lobo, descobrimos a cadela e seus quatro filhotes.

Resumo da ópera: terminamos a reforma com o fantástico número de nove cachorros em casa. Todos os filhotes foram dados, mas agora fica a pergunta: o que fazer com a cadela?

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Caderno novo


Sempre fui fascinada por um caderno novinho. Todas aquelas folhas em branco esperando que eu as enchesse com alguma coisa: pensamentos, textos copiados, questões, contas... As primeiras páginas tinham o privilégio de receber uma letra caprichada, toda desenhadinha. Lá pelo meio do caderno o esmero e a empolgação já tinham desaparecido e a letra virava rabiscos quase ilegíveis.

Nesse momento a sensação é a mesma. Um blog novinho esperando que eu o encha com meus pensamentos. O lado bom é que a minha letra sempre fica bonitinha e eu nunca perco a empolgação de agraciá-los (?) com os meus modestos textos.

Sejam bem-vindos ao meu blog novo, espero que gostem do que encontrarem por aqui.
Beijão