segunda-feira, junho 18, 2012

O dia é pra quem não tem poesia

Durante o dia, eu sou igual a todo mundo. Meu brilho é ofuscado pelo sol, mas refletido pela lua. É de noite que o meu contorno diurno ganha recheio e mostro quem eu realmente sou. Sob as estrelas não há lugar para mentiras nem vergonhas e é sob as estrelas que eu posso libertar minha mente. Sem alunos ou colegas, sem chefes ou diretores, de noite minhas metáforas tem permissão pra não se preocuparem com a permissão de ninguém. O ar da noite refresca o sangue e o pensamento. A lua cheia me enche de coragem e eu desafio a mim mesma. Desafio a esquecer o rosto vermelho e a moleza das pernas e ir atrás do que quero. De noite qualquer música traz lembranças, qualquer paisagem é bonita e aquele cheiro arrepia. Alguns acham que durante a noite as pessoas se escondem atrás de máscaras, mas é o contrário. De dia, o doutor advogado, a senhora engenheira procuram impor respeito de qualquer maneira. À noite, nada disso importa, ou não deveria importar. De noite sou artista, poeta e feliz. Só a noite permite que meus versos de vida se desenrolem e que as rimas do meu coração se mostrem até para quem não quer ver.