segunda-feira, maio 21, 2012

Poesia de presente


Não sei se isso acontece com mais alguém, mas vira e mexe eu ganho uma poesia de alguém. Ontem, durante a reunião do colégio, ganhei essa da minha querida amiga Márcia. Os tempos nunca estiveram tão em destaque na minha vida como nos últimos 6 meses.


"O presente está só.
A memória ergue o tempo.
Sucessão e engano
é a rotina do relógio
O ano não é menos vão
que a vã história.


Entre o amanhecer e a noite
existe um abismo de agonias, 
luzes, cuidados:
o rosto que se mira nos gastos
espelhos da noite não é o mesmo.


O hoje fugaz é tênue e é eterno;
outro céu não espere,
nem outro inferno."


                                 Jorge Luis Borges