quinta-feira, julho 22, 2010

Acho que esse dálmata é a vida


Todas as manhãs passo por um dálmata. Ele está sempre parado na frente da casa, com o queixo (será que cachorro tem queixo?) apoiado na grade do portão. Todos os dias às 7h20, ele fica lá olhando fixo para o lado esquerdo (de onde os carros vem). Não interessa o tempo, o movimento do trânsito, o humor dos motoristas ou o meu. Todas as manhãs ele fica lá parado, apenas observando.


Acho que esse dálmata é a vida.


Passamos correndo por ela, pensando em coisas. Nos preocupamos com bobagens. Passamos com cara feia, com cara de idiotas. Apaixonados, raivosos, cansados. Chorando, sorrindo, falando, reclamando, cantando. E ela ali, sempre no mesmo lugar, com o queixo apoiado na grade do portão. Olhando e pensando: "Pobres ratinhos numa caixa de Skinner gigante".


Acho que esse dálmata é a vida.

2 coisas de vocês:

jessica hunjas disse...

estava de bobeira na net,e encontrei o teu blog...
li algumas coisa,muito bacana!!!
saudades de vc!!!
bju pra minha eterna prof°
Jéssica Hunjas

Paulinho Trindade disse...

bah... achei que ia dormir impressionado, mas tu sempre me impressiona mais