sexta-feira, janeiro 23, 2009

Olhos


Gosto quando as pessoas falam sobre meus olhos. Disputando lugar com minha boca grande, meus olhos podem parecer dois buracos negros que desembocam direto no meu coração. Acho que eles dizem muito sobre mim, às vezes até de mais. Mas o que eu mais gosto é que com eles posso ver os olhos dos outros.

Desde sempre penso que quem tem olhos azuis ou verdes vê as coisas de um jeito diferente. Como se as imagens fossem mais claras, mais nítidas. Acho que penso assim porque os olhos verdes de minha mãe nunca suportam o sol tanto quanto os meus. No menor raio de sol, ela esconde seus olhos atrás de um óculos escuro. Olhos verdes que tanto invejo por não ter herdado.

Apesar disso, os olhos que mais me envolvem não são os olhos claros, mas sim os mais comuns. Castanhos existem aos montes, mas o que me pega não é a cor, mas sim o formato. Será que existem olhos mais famosos do que os de Capitu descritos por Machado de Assis? "Olhos oblíquos, olhos de ressaca". Quem dera ter olhos de ressaca, costumo dizer que tenho olhos de quem está de ressaca. Não conheço ninguém com olhos de ressaca, mas os oblíquos... aaahhhh, esses são irresistíveis.

Os oblíquos não são como os meus, são menores. Feito elipses decorando os rostos, os olhos oblíquos têm o poder de enganar. De longe se mostram de um jeito: seguros, maduros, independentes. De perto expressam antíteses completas. Olhos oblíquos são a antítese dos meus. Enquanto os meus iluminam cada sentimento que surge dentro de mim, os oblíquos envolvem tudo com uma névoa misteriosa e, por isso, sedutora. Enquanto os meus reagem sinceramente a cada estímulo dado, os oblíquos piscam, disfarçam, olhando firme pra frente, pra longe.

Meus olhos são mais agitados do que eu. Observam tudo e, às vezes, percebem até o que eu não quero. Mas em alguns momentos essa percepção some e eles se tornam tão bobinhos! E sendo bobinhos se acham espertos para caminhar na névoa misteriosa e, por isso, sedutora. E caminhando na névoa, chamam a atenção por iluminarem a única coisa por ali visível: meu coração.

4 coisas de vocês:

Priscila disse...

Já te falei isso hoje, mas repito: com olhar ou sem olhares, tu anda muito bem inspirada (e sei bem de onde). Olhares alheios aí, aqui ou acolá, sempre terão. Eu gosto dos teus, jabuticabas e transparentes. :***

Hanna Luara disse...

olhar com vários olhares. Concordo com o comentário acima vc anda muito inspirada e que bom, as fontes de inspiracao sempre fazem muito bem, vou tentar aparecer sempre aqui mesmo sem net :*

Carmen Romanini disse...

Oi Carol,
Você ganhou uma runa da decisão; numa das faces ela tem o símbolo sowelu que representa o sim e na outra face ela tem o símbolo isa que representa o gelo, um tempo de espera, o não. Posso enviar para você pelo correio. O que você acha?
Olha, a partir desta semana, no meu blog, estarei postando a runa da semana com um conselho. Não deixe de acompanhar.
um beijinho,
Carmen

Simo disse...

Olhos....

Os meus? Claros.
Na Luz, só de óculos escuros...

Janelas da alma? Eita alma inspirada! :)