sexta-feira, janeiro 04, 2008

Entre grupos musculares e anos 80


Alguém tem idéia de quantos grupos musculares nós temos? Eu não faço a mínima, mas sei que eles são capazes de doer todos ao mesmo tempo.

Vinte anos de ballet não me prepararam para pular em cima de uma mini cama elástica durante uma hora (por sinal a mais longa da minha vida). Terminei a primeira (e talvez a última) aula de aerojump com os pulmões implorando por oxigênio, o rosto quase pingando sangue de tão vermelho e uma leve dor no joelho esquerdo. Decidi me concentrar em outras duas aulas que, acredito, combinam um pouco mais com a minha resistência física e com a dor no joelho.

Quando volto para casa, pra curtir todas as dores, fico "no aguardo" de um DVD que comprei pela internet. Desde então conto os dias para que ele chegue e, depois de mais ou menos 15 anos, eu possa rever "Quando as metralhadoras cospem". Levanta a mão quem nunca viu esse filme na Sessão da Tarde!

Procurei durante muito tempo em todas as locadoras possíveis. Minha mãe tinha chegado à conclusão de que esse filme tinha sido uma alucinação da minha infância, mas agora ele está a caminho.

Enquanto o DVD não chega, eu curto meus grupos musculares assistindo a primeira temporada de "O elo perdido". É muito engraçado ver aqueles efeitos especiais super toscos e lembrar como eu morria de medo dos Sleestacks e do tiranosauro chamado Zangado.